Mostrando postagens com marcador Dinâmicas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dinâmicas. Mostrar todas as postagens





A dinâmica de grupo ainda é uma das etapas mais temidas para o candidato que está participando de um processo seletivo.Quem é que não tem receio de participar de uma dinâmica de grupo? Mesmo as pessoas mais experientes sentem um pouco de frio da barriga, pois nunca sabem o que vão encontrar. Realmente existem alguns tipos de dinâmicas que constrangem o candidato, deixa ele mais nervoso e as vezes o objetivo da dinâmica não condiz com o perfil da vaga a ser selecionada.


Antes de fazer psicologia, eu não entendia muito bem os significados das dinâmicas de grupo e já tinha participado de algumas dinâmicas que não tinha nada haver, sem nenhuma coerência. Eu achava um absurdo, pois as empresas não tinha nenhum respeito com o candidato, já participei de dinâmicas de vender um sapato com salto quebrado, um palito de fósforo riscado, sendo que a vaga que eu participava não tinha nada haver com vendas, outra vez já pediram para eu fazer um jingle e ficar dançando e cantando na frente de todo mundo, e a vaga não tinha nada haver com artes cênicas ou canto.


Tem empresas que passam do limite, acho que tem que ter um bom senso e principalmente ter respeito ao candidato e não expor ele ao ridículo, pois o objetivo da dinâmica de grupo é observar o comportamento na situação de grupo e na maneira de ser do indivíduo.


E você já foi exposto ao ridículo em alguma dinâmica, qual foi a pior dinâmica que você já participou em um processo seletivo?

10 Tipos de Dinâmicas de Grupos

Postado por Corretor de imóveis | 13:15





               1.      DANDO CONSELHOS

AJUDA MÚTUA. para o tipo não direcional.
Para quantas pessoas: Para grupos grandes
Material necessário: Papéis com as indicações de como devem se comportar as pessoas que farão as encenações e papéis com o resumo dos problemas que serão apresentados para todos os participantes.
Descrição da dinâmica: Os participantes recebem uma folha c
Objetivo: Experimentar diversos tipos de aconselhamento, orientando com a indicação dos casos que irão receber conselhos (Anexo 1 ) .Pede-se a 6 voluntários que representem os tipos de conselho- autoritário, exortativo, sugestivo, direcional, não direcional, eclético. Cada um recebe uma folha indicando o modo como deve se comportar.
(Anexo 2) -Pede-se outros seis voluntários que representem as pessoas que vêm pedir ajuda.
Realiza-se, então, seis pequenas encenações. Em cada uma delas uma pessoa apresenta o problema e recebe um tipo de conselho. Após cada encenação, os participantes fazem um pequeno cochicho para avaliar o que viram e ouviram.
Ao final, realiza-se um plenário de análise geral do que se passou.
Anexo 1:Alguns casos que podem ser apresentados: gora é uma pessoa com recursos muito limitados. Vive triste e tem a sensação de ser um "peixe fora d'água" Se
1 .Um senhor deixou uma vida ativa e cheia de responsabilidade. A nte-se dominado pelo tédio. Seus filhos já estão casados e ele vive sozinho.O que fazer da vida?
2 A vida de casados estava boa. O esposo conseguiu prosperar bem na vida. Agora entrou na vida dele uma mocinha bonita, que trabalha no mesmo lugar que ele. Ele afirma que é uma amizade pura e que esta mocinha é quem lhe dá um pouco de alegria e prazer à sua existência triste. A esposa pensa um pouco diferente. "Sempre fui uma boa esposa..Trabalhei até gastar minhas mãos. Desde os tempos difíceis estive ao lado dele. Nunca olhei para nenhum outro homem. Cuido bem da casa e sou uma pessoa econômica. Agora que prosperamos um pouco socialmente, poderíamos sair um pouco, curtir a vida.. como eu sempre esperei. E me deparo com esta situação. O que devo fazer?
Anexo 2.
Alguns tipos de entrevistadores.
1 .Autoritário: ordena, repreende, ameaça, condena, define: a única coisa que se pode fazer é. .o único caminho é. ..
2. Exortativo. Procura fazer com que o cliente assuma o compromisso de fazer ou deixar de fazer algo, diz coisas do tipo: "Deus ficaria feliz com esta ação", ou então: “A pátria, teus pais, esperam isso de vocês”.
3. Sugestivo: Tenta ajudar dando ânimo e apoio, sem solucionar o problema. "Eu sei que você pode vencer, você já venceu coisas piores, isto não é o maior problema da sua vida, você vai ver que logo tudo estará resolvido...”.
4. Eclético. Fala muito, fala difícil, mas ninguém entende: "rodos os métodos buscam provocar uma catarse nas pessoas, a verbalização de problemas e vivências emocionais, conscientes ou inconscientes. Isso provoca por um lado aceitação e compreensão e por outro lado, suscita energias para a solução dos problemas...”.
5 .Direcional. Toma a iniciativa das soluções, dá indicações concretas.
6. Não-direcional Procura seguir o pensamento da pessoa ajudada. Espera que ela comece a conversa. Sempre devolve as questões. Pergunta sem concluir nada Acompanha a pessoa em seu processo de assumir o problema.

 2.      AGUENTAR MUITO

Objetivo: Ajudar à intercomunicação e aprofundar o como as pessoas do grupo
enxergam cada um dos membros Provocação ou diminuição de tensões.
Para quantas pessoas: Dinâmica que deve ser realizada em grupos que já têm um período de caminhada, de preferência, grupos pequenos. Descrição da dinâmica: Um voluntário se coloca à disposição do grupo.
Os demais participantes devem dizer o que pensam em relação a ele, evitando as considerações supérfluas, o excesso de elogios ou dizer coisas negativas e já na seqüência ficar se desculpando.
O que se colocou à disposição do grupo não pode desculpar-se O exercício não pode ser demorado.
Se as acusações forem muito duras, o assessor deve intervir e, se necessário, interromper o exercício Só se deve realizar esta dinâmica quando há um nível de confiança recíproca que permita escutar o negativo e buscar caminhos para superá-lo Se não for assim, o exercício se torna apenas destrutivo ou inútil.
Segue-se um momento de avaliação, no qual o que sofreu as observações dos demais participantes, pode comunicar ao grupo como se sentiu durante o trabalho, enquanto ouvia falarem de sua pessoa E o grupo avalia se o exercício teve algum proveito para todos Por quê?


3.      TROCA DE SEGREDOS

DESENVOLVIMENTO PESSOAL.
Objetivo: Aprender a se aceitar e ajudar a desenvolver a empatia com os outros membros do grupo.
Para quantas pessoas: Cerca de 20 pessoas.
Material necessário: Papel e caneta ou lápis para cada um.
Descrição da dinâmica: Cada um deve escrever no pedaço de papel que recebeu alguma dificuldade que encontra no relacionamento com os outros e que não gostaria de expor oralmente.Cada um deve despistar a própria letra e todos os papéis devem ser dobrados da mesma forma. O coordenador da dinâmica recolhe e mistura os papeizinhos. A seguir, são sorteados os papeizinhos entre os participantes da dinâmica e cada um assume o problema que estiver descrito no papel que pegou. Deve ler o problema em voz alta, explicar como se o problema fosse dele e propor alguma solução para o problema. Não se deve permitir debates nem perguntas Quando todos já tiverem falado, o coordenador poderá propor algumas questões para os participantes como você se sentiu ao ver o seu problema descrito? Como você se sentiu ao explicar o problema de um outro? O outro compreendeu seu problema? Você compreendeu o problema do outro? Como se sentiu em relação ao grupo?

4.      ESCUDO

DESENVOLVIMENTO PESSOAL
Objetivo: Ajudar as pessoas a exporem planos, sonhos, jeitos de ser, deixando-se conhecer melhor pelo grupo.
Para quantas pessoas: Cerca de 20 pessoas.
Material necessário: Uma folha com o desenho do escudo para cada um e lápis colorido ou giz de cera suficientes para que as pessoas possam fazer os desenhos. O desenho do escudo deve ser assim.
Descrição da dinâmica: O coordenador da dinâmica faz uma motivação inicial (durante cerca de 5 minutos) falando sobre a riqueza da linguagem dos símbolos e dos signos na comunicação da experiência humana. Vamos procurar comunicar coisas importantes da nossa vida através de imagens e não apenas de coisas faladas. Cada um vai falar de sua vida, dividindo-a em 4 etapas. a. do nascimento aos seis anos; b. dos 6 aos 14; c. o presente; d o futuro. 
Encaminha a reflexão pessoal, utilizando o desenho do escudo, que foi entregue para cada um. Na parte superior do escudo, cada um deve escrever na parte superior o seu lema, ou seja, uma frase ou palavra que expressem o seu ideal de vida Depois, em cada uma das quatro partes do escudo, vai colocar um desenho que expresse uma vivência importante de cada uma das etapas acima mencionadas.
O escudo ficará preenchido da seguinte maneira.
Em grupos de 5 pessoas, serão colocadas em comum as reflexões e os desenhos feitos individualmente, e, depois, conversa-se sobre as dificuldades encontradas para se comunicarem dessa forma

5.      UMA PESSOA DE PRINCIPIOS

JOGO COMUNITÁRIO.
Objetivo: Descontrair os participantes de uma reunião ao mesmo tempo em que desenvolve a criatividade.
Para quantas pessoas: Grupos com menos de 15 pessoas.
Descrição da dinâmica: Todos os participantes se sentam em círculo. O coordenador ao centro inicia o jogo narrando uma história de alguém, Ao contar fatos, viagens, opiniões, gostos, pede aos participantes que completem as frases sempre com palavras começadas com a letra inicial do nome do personagem. Por exemplo: Eu tenho uma amiga que se chama Luiza.
A peça de roupa que ela nunca deixa de usar é....(e aponta para alguém, que deve completar, por exemplo, com....luva) Sempre que viaja, ela vai para... Londres, O nome do namorado dela é ... Luís.
Em casa, ela tem um bicho de estimação, que é uma....lesma.
Aquele que demorar muito para responder ou trocar a letra inicial vai para o centro, puxar o jogo, As perguntas devem ser feitas rapidamente.

6.      CAÇA AO TESOURO

APRESENTAÇÃO
Objetivo: Ajudar as pessoas a memorizarem os nomes umas das outras, desinibir, facilitar a identificação entre pessoas parecidas.
Para quantas pessoas: Cerca de 20 pessoas, Se for um grupo maior, é interessante aumentar o número de questões propostas.
Material necessário: Uma folha com o questionário e um lápis ou caneta para cada um.
Descrição da dinâmica: O coordenador explica aos participantes que agora se inicia um momento em que todos terão a grande chance de se conhecerem. A partir da lista de descrições, cada um deve encontrar uma pessoa que se encaixe em cada item e pedir a ela que assine o nome na lacuna.
1 , Alguém com a mesma cor de olhos que os seus'
2, Alguém que viva numa casa sem fumantes:
3. Alguém que já tenha morado em outra cidade:
4, Alguém cujo primeiro nome tenha mais de seis letras.
5 Alguém que use óculos'
6. Alguém que esteja com uma camiseta da mesma cor que a sua.
7. Alguém que goste de verde-abacate’
8, Alguém que tenha a mesma idade que você,
9. Alguém que esteja de meias azuis'
10. Alguém que tenha um animal de estimação (qual?):
Pode-se aumentar a quantidade de questões ou reformular estas, dependendo do tipo e do tamanho do grupo.

7.      HISTORIA SUBSTANTIVADA

JOGO COMUNITÁRIO.
Objetivo: É um momento de descontração no meio ou no começo de um dia de trabalho, além disso, ajuda a desenvolver a criatividade e a capacidade de se trabalhar em grupo.
Para quantas pessoas: Equipes de 3 ou 4 pessoas (três pessoas serão os juízes) .
Material necessário: Uma folha com 20 substantivos, 10 adjetivos e 5 verbos para cada grupo. Papel e caneta para que possam anotar a história que tiverem inventado.
Descrição da dinâmica: Cada equipe recebe tem que inventar uma história em que entrem as palavras anotadas na folha de papel, na seqüência em que estão anotadas. Os substantivos e adjetivos devem ter os mais diferentes significados para que a história se torne bem interessante. O coordenador da dinâmica explica o que terá que ser feito e os grupos terão cinco minutos para prepararem sua história. Cada grupo lê sua história em voz alta para os demais. Ganha a equipe que respeitar melhor respeitar a seqüência dada na folha, que usar todas as palavras, que tiver feito a história dentro do prazo e se for bonito, gostoso, frito, maravilhoso, babento, bravo, sujo, cheiroso, transparente, azulado. verbos: comer, cair, chorar, pescar.

        8.       AS GARRAFAS

ORGANIZAÇÃO DO GRUPO
Objetivo: Analisar a importância da organização, diferenciando uma ação espontânea de uma ação planejada.
Para quantas pessoas: 20 ou mais pessoas
Material necessário: 6 garrafas vazias, de boca não muito estreita e areia na quantidade exata para encher as seis garrafas
A Descrição da dinâmica: Pede-se 6 voluntários que se colocam em fila e aos pés de cada um se coloca a garrafa vazia Distante dos participantes, cerca de 6 metros, se coloca a areia Todas as garrafas.
devem ser enchidas de areia A areia que for derramada para fora do recipiente não poderá ser reaproveitada. Ganha o que encher sua garrafa e, de volta ao seu lugar, colocar a garrafa aos seus pés O coordenador conta até três e dá a ordem de partida
Quando o primeiro chegar com a garrafa, os outros param Todos -, mostram o quanto conseguiram colocar em suas garrafas e quanta areia ficou esparramada. Em seguida, pede-se 6 novos voluntários e se repete o exercício.Antes de dar a ordem de partida, faz-se uma pequena avaliação de como e comportou a equipe anterior. Antes de se fazer uma terceira rodada da mesma atividade, avalia-se novamente o desempenho da equipe anterior.
 Finalmente, avaliam-se as três etapas da dinâmica.
Para esta discussão final, é interessante que as avaliações feitas em cada etapa estejam anotadas de forma que todos possam tê-las à vista.
O coordenador pede que todos reparem na avaliação da primeira rodada Pergunta por que as coisas se deram dessa maneira? E pode, a partir do que for dito pelo grupo, analisar os elementos de uma ação espontânea.
Ao analisar a segunda rodada, pode perguntar que elementos foram superados em relação à primeira? O que permitiu superar estas coisas? Neste momento, o coordenador pode retomar o que significa a experiência que se vai acumulando em relação ao planejamento e à ação e a importância de se refletir sobre ela A analisar a última volta, se retoma a fundo a necessidade de realizar ações de forma planejada, avaliando os erros e os acertos Posteriormente, analisa-se a importância de seguir os objetivos de forma coletiva e completa (e não apenas parcialmente), observando que não se tratava de uma competição, mas que o objetivo era que todos enchessem suas garrafas Foi dito no começo que "ganha aquele que conseguir encher sua garrafa e, de volta ao seu lugar, colocar a garrafa aos seus pés"
Logo depois desta etapa, o coordenador da dinâmica deve levar as pessoas a compararem a dinâmica com o que se passa na vida real de cada um dos participantes.
Recomendação Durante o desenvolvimento da dinâmica, o coordenador deve estar atento para que as avaliações sejam sobre a própria dinâmica e não se entre em reflexões sobre a vida Já na reflexão final deve atentar para que se deixe de lado o que aconteceu na dinâmica para que se analise a realidade.

            9.     A CANDIDATURA

Objetivo: Expressar de maneira simpática o valor que têm as pessoas que trabalham conosco
Para quantas pessoas: Grupos de cinco pessoas se houver mais de 10 participantes.
Descrição da dinâmica: Cada grupo deve escolher um candidato para determinada missão Por exemplo, ser presidente da Associação de Moradores, ser dirigente de um clube esportivo, etc.
Cada participante coloca no papel as virtudes que vê naquela pessoa indicada para o cargo e como se deveria fazer a propaganda de sua candidatura.
O grupo coloca em comum o que cada um escreveu sobre o candidato e faz uma síntese de suas virtudes. Prepara a campanha eleitoral e, dependendo do tempo disponível, faz uma experiência da campanha prevista.
O grupo avalia a dinâmica, o candidato diz como se sentiu. O grupo explica porque atribuiu determinadas virtudes e como se sentiram na campanha eleitoral.

          10.    MURAL CRIATIVO

PRODUÇÃO.

Objetivo: Incentivar a criatividade do grupo
Para quantas pessoas: Grupos de 4 pessoas
Material necessário: Cartolinas ou pedaço de muro e tintas
Descrição da dinâmica: Cada grupo recebe uma cartolina ou um pedaço de muro para fazer ali a sua avaliação da atual sociedade O grupo deve se expressar dentro de uma linguagem que permita uma comunicação de estilo popular e que seja de bom gosto artístico. O grupo se reúne para escolher o tema e planejar o mural. E bom que disponham de um dia inteiro para realizá-lo, pois deverão aproveitar aos momentos livres para pintá-lo.
Organiza-se um momento de cochicho para que seja escolhido o melhor trabalho, justificando-se a escolha. O critério básico deve ser a criatividade do grupo.
Conversa-se sobre o valor que o exercício teve para o grupo

Como Fazer uma dinâmica de grupo

Postado por Corretor de imóveis | 07:21




As dinâmicas de grupo fazem parte de treinamentos, de programas educativos e de processos de seleção de profissionais da grande maioria das empresas na hora de avaliar comportamentos e características das pessoas. Diante disso, o analista de sistemas Eduardo Fornaro, de São Paulo, criou, com base em seus 20 anos de experiência em dinâmicas de grupo, um site que reúne diversas propostas, seja para quebrar o gelo antes de uma reunião, treinar lideranças, gerir o tempo, aumentar o espírito de equipe, entre outras.

Atualmente, há mais de 200 dinâmicas cadastradas por , educadores, psicólogos, entre outros profissionais que utilizam esta ferramenta na rotina de trabalho. “Para cada objetivo existe uma dinâmica”, explica o consultor.
Segundo ele, muitas variáveis influenciam o resultado positivo ou não de uma dinâmica. “O problema é que muitas pessoas acham que a dinâmica é algo mágico, basta fazer para ter resultados”, diz o consultor. Mas na prática não é assim que funciona.

Além de um facilitador preparado para conduzir a dinâmica, é preciso ter claro o objetivo, bem como o perfil da empresa, o número de participantes, o local e o tempo disponível para realizá-la. E Fornaro garante: “Uma dinâmica bem-feita funciona tanto para um grupo de crianças como para executivos.”

Confira a seguir o passo a passo para fazer uma dinâmica de grupo:

1. O que você deseja com a dinâmica de grupo? É preciso ter claro o objetivo, ou seja, detectar qual é a necessidade da empresa. Se for para ser usada em treinamento, por exemplo, é necessário definir quais as características que se quer avaliar, pois para cada objetivo, uma determinada dinâmica é indicada. Já para recrutamento e seleção, por exemplo, o objetivo da dinâmica é avaliar certas características, o que é desejável ou não num candidato. Suponhamos que se busca um profissional para análise de informações. Neste caso, a dinâmica testará o grau de concentração do candidato. “O problema é que tem gente que quer dinâmica especificamente para contratar profissionais de vendas. O fato é que não existe uma dinâmica específica para isso, mas outras que analisam o que é desejável num profissional de vendas”, explica Fornaro.

2. Como e onde aplicar? O número de pessoas interfere no resultado da dinâmica. Por isso, de acordo com Eduardo, o ideal é que exista, pelo menos, um facilitador para cada cinco, seis, até oito pessoas. “Quem faz para um auditório de 100 está fazendo entretenimento”, adverte o consultor, para quem só a dinâmica com número limitado possibilita avaliar realmente os participantes. Com o número fechado de participantes é preciso definir o local onde a dinâmica será realizada. Pode ser numa sala, ao ar livre, numa lanhouse. “Ás vezes o conteúdo é maçante, então o ideal é buscar um local agradável, mas que não tire a atenção dos participantes.”

3. Quanto tempo deve durar? Há dinâmicas de cinco minutos a mais de duas horas. O aconselhável é que ela não seja muito extensa, conforme explica Fornaro. Há dinâmicas feitas em partes, ao longo de uma semana, e podem durar 20 segundos cada. Também vale ressaltar que os resultados ficarão comprometidos se se tentar adaptar uma dinâmica de 45 minutos para 15 minutos. “Seguramente será um fracasso se você não adaptá-la adequadamente”, alerta o consultor. O melhor é que dure entre 20 e 30 minutos. Vale ressaltar, no entanto, que a fixação de conhecimentos leva mais tempo, conforme lembra o consultor.

4. Qual dinâmica aplicar? O cardápio de propostas é variado, mas a escolha deve levar em conta o tempo disponível, bem como ter claro o perfil da empresa e dos participantes. “As dinâmicas são flexíveis e funcionam tanto para crianças quanto para executivos”, garante Fornaro.

5. Durante e depois, o que fazer? É certo que o facilitador precisa estar preparado para conduzir a dinâmica. Segundo o consultor, é aconselhável que o facilitador faça anotações para avaliar a ferramenta que está usando. “Às vezes determinada dinâmica funciona, às vezes não. O fato é que existem vários fatores que influenciam o sucesso e o insucesso de uma dinâmica”, explica Fornaro. Essas anotações servem também para facilitar a vida dos colegas da empresa, no caso dos profissionais de RH que, em algum momento podem consultar as dinâmicas já feitas com a equipe e saber quais são as mais indicadas e as que não devem ser repetidas.

6. Feedback. Se a dinâmica for voltada a funcionários da empresa é possível dar um retorno aos participantes sobre suas performances. Já no caso de recrutamento e seleção isso não é viável. “Às vezes não é ético, gera custos leva tempo”, explica Fornaro. Segundo ele, o facilitador também precisa treinar o feedback para ser claro e objetivo.

Fonte: Canal RH

As Dinâmicas De Grupo Mais Populares

Postado por Corretor de imóveis | 10:46




Descubra quais são as Dinâmicas aplicadas com mais freqüência pelos recrutadores e veja dicas para ter sucesso durante o processo


Para muitos candidatos, a dinâmica de grupo é um dos momentos mais críticos de um processo seletivo. Além de ter de interagir e se destacar em meio a pessoas desconhecidas, é exigido do participante jogo de cintura para saber lidar com jogos e atividades propostos na hora. “A dinâmica de grupo em processos seletivos visa identificar o candidato certo para uma vaga específica. Por isso, a atividade aplicada deve ser análoga à função do cargo oferecido”, afirma Roberto Hirsh, da SBDG (Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos). Deste modo, a maior dica para o candidato é ter certeza de que possui o perfil desejado pela empresa. “O maior inimigo do candidato é ter o perfil inadequado para o cargo, e não as pessoas que estão concorrendo com ele”, explica a psicóloga organizacional Beatriz de Campos, consultora da Pensare Consultoria.

Mas como os selecionadores optam por aplicar esta ou aquela dinâmica? “Cada profissional tem seus autores de dinâmica favoritos. No meu caso, gosto do trabalho de Maria Rita Gramigna e Marise Jalowitzki, entre outros. Além disso, pesquiso em sites especializados”, conta Beatriz. Não há como prever qual tipo de dinâmica será aplicado em determinada empresa, mas estudar alguns exemplos pode ajudar em sua preparação.

Confira algumas vivências freqüentes em processos seletivos:

- Apresentação: Antes de começar a trabalhar em grupo, é preciso conhecer cada um dos candidatos. A apresentação p ode ser feita apenas oralmente, quando cada participante fará uma pequena descrição de sua vida pessoal e profissional . Não se esqueça, porém, de que sua apresentação pessoal já estará sendo avaliada pelos recrutadores, que irão verificar sua habilidade em falar sobre si;

- Atividade individual: Também é uma opção de avaliação do selecionador, que busca examinar a capacidade do candidato em se expor a outras pessoas, competência na argumentação e fluência verbal ;

- Redação: Algumas empresas pedem durante a dinâmica que os candidatos escrevam um texto (cujo tema pode ser específico ou livre) para avaliar o domínio da língua escrita – seja em português ou outro idioma requisitado pela vaga. Portanto, revisar sua ortografia antes de encarar o processo é uma dica valiosa ;

- Simulação de vendas: Não é raro que os recrutadores peçam para os participantes se dividirem em grupos e bolarem uma estratégia de venda para determinado produto. Geralmente esse tipo de dinâmica ocorre quando a vaga em questão está relacionada ou necessita de algumas competências de um profissional de vendas ;

- Trabalho em equipe: Inúmeras dinâmicas têm o objetivo de avaliar como o candidato interage em grupo – se é introvertido ou não, engajado com a equipe ou relapso, possui capacidade de argumentação ou não, apresenta características de liderança ou de liderado, etc. 


Conquistando o sucesso

Muitas competências são avaliadas durante todo o processo e, por mais diferentes que sejam as vagas, algumas habilidades são sempre bem vindas, tais como: criatividade, flexibilidade, iniciativa, capacidade de negociação, foco em resultados, capacidade de trabalho em equipe, autoconfiança, liderança, estabelecimento de metas e tomada de decisão. É muito importante que você se prepare e estude bem a empresa e o cargo pretendido, contudo, lembre-se de que sua atitude deve ser o mais natural possível. Não tente decorar o que vai fazer na dinâmica. Você ficará mais ansioso e as chances de falhar aumentam. Como você não pode prever quais serão as atividades aplicadas, veja quem é o candidato que os avaliadores procuram - em todos os tipos de dinâmica:

  • Aquele que é seguro de si, que possui valores, metas e idéias condizentes com as da empresa;
  • Acompanha o ritmo da equipe, respeitando e colaborando com os membros participantes;
  • Desempenha sua tarefa com o uso do raciocínio, planejando e executando o trabalho de forma organizada, expondo suas idéias com fundamento;
  • Aceita os demais membros, promovendo-os também para o sucesso e êxito em seu desempenho.
É automaticamente descartado quem:
  • Demonstra comportamento arrogante;
  • Possui timidez demasiada, sem participação efetiva;
  • Finge comportamentos;
  • Boicota algum membro do grupo;
  • Busca destaque em excesso, não permitindo a participação dos demais membros.
Fonte: www.empregos.com.br




Como perder medo, dessa tão temida dinâmica de grupo? Só das pessoas escutar, tem gente que já começa a suar frio, a tremer, tem pavor mesmo, sente angustia, mas temos que superar, porque para conseguir um bom cargo numa empresa você tem que superar todos os seus medos e conseguir ser aprovado na dinâmica, onde tem várias pessoas, e terá que ser tão bom ou melhor do que seus concorrentes. Hoje em dia já posso dizer que tiro de letra quando participo das dinâmicas de grupo, mas não foi bem assim, algum tempo atrás eu detestava, as vezes cheguei até desistir de participar só pelo pavor de falar em público, mas conseguir ser resiliente, e superei as adversidades. Ah a moda agora no mundo corporativo é ser resiliente, quem não for dança no mercado profissional.

Para um candidato a uma vaga de emprego, a prova de fogo que pode definir a contratação é a entrevista ou a dinâmica de grupo. Em ambos os casos, psicólogos, gestores e selecionadores estão atentos a todo tipo de movimentação do candidato. A linguagem ou os gestos podem revelar traços do perfil exigidos pela vaga almejada. O problema é que nem todos se saem bem nesta hora, não é só ter um bom currículo ou um elevado nível de QI, isso é coisa do passado, as empresas querem pessoas com alto nível de inteligência emocional, que saibam trabalhar com pressão, mantendo seu controle emocional, para isso acontecer o candidato terá que enfrentar seus próprios medos e ter um autoconhecimento.

Pesquisar sobre a empresa, conhecer os tipos de processo seletivo, autoconhecimento, técnicas de respiração e relaxamento. São essas as estratégias que podem auxiliar o candidato a uma vaga de emprego a dominar a ansiedade para se sair bem na entrevista ou dinâmica de grupo. Nunca se deve desrespeitar a opinião do outro numa dinâmica, tem que colocar suas opiniões de forma plausível e saber escutar, ou seja, nunca interromper quando o outro candidato estiver expondo suas ideias, também nem achar que vai enganar (o psicólogo ou gestor) falando de habilidades que a pessoa não tem.


PONTOS IMPORTANTES

Seis itens importantes de uma dinâmica de grupo comportamental:

- participação
- união do grupo
- integração
- liderança participativa
- respeito de limites
- criatividade

Abaixo você encontra dez dicas preciosas, elaboradas por especialistas da área de RH e consultoria de carreira, para que sua atuação em dinâmicas de grupo seja bem lembrada pelos recrutadores.

Agora confira os 10 MANDAMENTOS DE UMA DINÂMICA DE GRUPO

Prepare-se muito bem, Antes do momento da dinâmica, lembre-se de checar alguns pontos, como:

“Na noite anterior, antes de dormir, repasse seu currículo e a forma como você irá se apresentar” – Regina Silva, sócia-diretora do Instituto Gyraser.

“Esteja muito bem informado sobre a empresa. ‘Fuce’ o site, descubra quem são os concorrentes, em que posição está no mercado” – Carla Dalla Zanna, consultora da Marcondes & Consultores Associados.

“Chegue um pouco antes ao local para evitar aumentar sua ansiedade” – Regina Silva

Cuide da sua imagem, Uma boa apresentação começa no vestuário. Siga as dicas do consultor e coach em marketing pessoal Sílvio Celestino:

“Roupa e imagem têm de transmitir credibilidade. Uma boa dica é basear-se no vestuário de apresentadores de telejornal, como da Globo ou GloboNews. Eles possuem um departamento específico que estuda a melhor maneira de se vestir no ambiente de trabalho”;
“As mulheres devem tomar um certo cuidado, pois devem transmitir credibilidade e não sensualidade”;
“É fato que o sapato revela muito sobre a aparência da pessoa, e os recrutadores reparam nisso. Portanto, o calçado deve estar sempre impecável, parecendo novo”.
Seja honesto e protagonista
Ser você mesmo é o principal conselho de todos os especialistas ouvidos pelo Empregos.com.br.

“O mais importante é sempre falar a verdade, fruto da sua própria experiência. Você deve ser responsável por tudo o que acontecer, usar de protagonismo. Se algo não der certo, não se faça de vítima e assuma suas atitudes. Uma frase de que gosto muito, de Allan Katcher, autor de Gerenciando suas Forças, é ‘Seja quem você é e jamais lamente não ser quem você não é’” – Carla Dalla Zanna.

“Seja você mesmo, pois os profissionais que estão recrutando têm um perfil que você não conhece. Se você tentar ser o que não é, terá dois problemas: poderá ser selecionado e cobrado pelo que demonstrou na dinâmica ou poderá perder a posição por não ter o perfil que eles estavam selecionando” – Regina Silva

Seja líder, não ditador, espírito de liderança é algo que todos os recrutadores procuram nos candidatos. Deve-se tomar cuidado, no entanto, para não confundir liderança com autoritarismo.

“Na medida do possível, tente liderar a dinâmica, mostrar-se pró-ativo. Porém, se você e outra pessoa entrarem em alguma disputa pela posição de líder, deixe-a com o cargo. Isso mostra que você deseja que a atividade ande para frente e, ao mesmo tempo, o torna o próprio líder, pois é como se você tivesse delegado a tarefa ao outro”. – Sílvio Celestino

Aja de acordo com o perfil da dinâmica, cada vaga e empresa têm características distintas – você deve estar atento para agir, na dinâmica, de acordo com o cargo almejado.

“Lembre-se de que cada dinâmica tem um perfil diferente. Mesmo que a forma de apresentação seja similar à de outra empresa, o perfil a ser selecionado é diferente” – Regina Silva

“Esteja voltado para o propósito da dinâmica, assuma o personagem que o processo pede. É preciso estar bastante concentrado, saiba ouvir e falar na hora certa” – Silvio Celestino

Bom humor é fundamental, medo e insegurança podem muitas vezes acompanhar o candidato durante o processo. Driblar esses obstáculos com humor pode fazer a diferença nos resultados.

“O bom humor deve estar sempre presente na dinâmica de grupo, até para ajudar a evitar ou minimizar a natural tensão, comum a toda situação competitiva. No entanto, se por um lado a dinâmica deve manter um clima e um contexto necessariamente lúdico, por outro não deve jamais ser conduzida como brincadeira inconseqüente ou como diversão dos facilitadores.” – Floriano Serra


“Após uma dinâmica – e, de resto, após qualquer processo seletivo – não há vencidos e vencedores, ganhadores e perdedores, melhores nem piores. O que todo processo seletivo visa é identificar o candidato que possua um perfil pessoal e profissional mais próximo e adequado ao perfil da vaga que se busca preencher. Um candidato que não ganhe a vaga pode ter o perfil ideal para outra, na mesma ou em outra empresa. Isso deve ficar muito claro para que nenhum candidato saia do processo com sua auto-estima abalada” – Floriano Serra.

Tipos de Dinâmicas de Grupo

Postado por Corretor de imóveis | 19:55






Compartilho com meus queridos leitores, algumas dinâmicas de grupo usadas para o processo de Recrutamento & Seleção


Quebra Gelo

Imagem&Ação

Indicadores:

Ø  Abertura;
Ø  Integração e descontração;

Cargos Indicados:

Ø  Vendas, analistas de marketing;
Ø  Operadores de Telemarketing;
Ø  Trainee, estagiários (todas as áreas);
Ø  Analistas e assistentes administrativos;

Número de participantes:

10 a 20 participantes;

Desenvolvimento:

Distribuir para o grupo papéis contendo pares de palavras compostas e informar para somente abrir após a autorização do facilitador.

1 º comando: O facilitador informa que todos receberam palavras compostas e que eles devem identificar uma outra pessoa que tenha uma palavra que seja igual a sua. Formar pares e sentar ao lado desta pessoa.

2º comando: O facilitador informa que cada dupla terá que criar uma maneira de expressar de forma não verbal a palavra que eles possuem em mãos, dentro de um tempo máximo de 1 minuto. Os dois participantes devem estar envolvidos de alguma forma nesta apresentação. Só poderão sentar assim que a palavra for identificada pelo grupo.

Comentários:


Ø  Por esta atividade ser estimulante e divertida, é indicada para ser utilizada antes mesmo da entrevista em grupo, facilitando assim que os candidatos se sintam mais à vontade para iniciar uma apresentação individual.

Ø  No caso do número de participantes ser impar um assistente ou mesmo um outro participante que já se apresentou poderá formar a dupla com quem sobrar.

Ø  Muitas vezes dentro de uma organização não temos disponíveis todos os recursos que consideramos importantes para se desenvolver uma determinada atividade, contudo, utilizando-se de criatividade e flexibilidade os resultados podem ser surpreendentes.
Folha de Autógrafos

Distribua o material, adequando-o ao número de participantes. Explique que deverão ler todas as frases e procurar uma “pessoa” para cada situação, colocando o nome do colega ao lado para saber quem você identificou. Informe que eles terão no máximo 5 minutos para conseguir o máximo de autógrafos possíveis na folha de papel. Permita que todos saiam de seus lugares, para que o grupo se descontraia e assim travem conhecimentos em maiores responsabilidades.
O tempo varia de acordo com o número de participantes.
Quando todos tiverem terminado, peça que digam quantas assinaturas conseguiram, pedindo a alguns que leiam sua escolha. O facilitador pode também selecionar algumas perguntas e lançar para o grupo afim de que todos se conheçam.

MODELO FOLHA DE AUTÓGRAFOS
Instruções:
- Dentre os seguintes itens, selecione 10 deles colocando um x em cada uma de suas escolhas.
- Durante a sessão de busca de autógrafos, você estará entrevistando pessoas para descobrir aquela que preenche cada uma das 10 categorias ou condições que você escolheu.
- Você obterá então o autógrafo daquela pessoa no espaço apropriado.
- Você deve ter um autógrafo diferente para cada um dos 10 itens.

(   ) 01 – Alguém do mesmo signo astrológico que o seu ......................................................................
(   ) 02 – Alguém que more sozinho........................................................................................................
(   ) 03 – Alguém que tenha nascido no mesmo Estado que você..........................................................
(   ) 04 – Alguém que toque um instrumento musical..............................................................................
(   ) 05 – Alguém que more no mesmo bairro que o seu.........................................................................
(   ) 06 -  Alguém que tenha filhos...........................................................................................................
(   ) 07 – Alguém que torça pelo mesmo time que o seu.........................................................................
(   ) 08 – Alguém que pratique esporte....................................................................................................
(   ) 09 -  Alguém que tenha animal doméstico.......................................................................................
(   ) 10 -  Alguém que já tenha composto uma música...........................................................................
(   ) 11 -  Alguém que saiba recitar uma poesia.....................................................................................
(   ) 12 -  Alguém que more com a sogra ..............................................................................................
(   ) 13 -  Alguém que já tenha desfilado em escola de samba.............................................................
(   ) 14 -  Alguém que já tenha pulado de pára-quedas.........................................................................
(   ) 15 -  Alguém que pratique um esporte radical................................................................................
(   ) 16 -  Alguém que saiba cozinhar um prato especial.......................................................................
(   ) 17 -  Alguém que saiba pintar quadros...........................................................................................
(   ) 18 -  Alguém que seja casado........................................................................................................
(   ) 19 -  Alguém que saiba dirigir.........................................................................................................
(   ) 20 -  Alguém que já tenha viajado para o exterior..........................................................................


Gente pra Gente

É colocada uma música e o facilitador convida a todos a começarem a dançar livremente pela sala. Informar ao grupo que ao parar a música, o facilitador vai dizer duas partes do corpo. Ex: Cotovelo para joelho! Os jogadores imediatamente devem procurar um parceiro e unir ou encostar as partes do corpo que foram pedidas. A música recomeça, todos saem dançando até parar de novo e novas partes do corpo serem solicitadas. Destacar que caso o facilitador fale “Gente pra Gente” todos devem começar a se saudar da maneira que lhe convir.

Apresentação Divertida

O facilitador coloca uma música animada / energizante. Dizer que vamos começar a nos apresentar, porém de uma forma descontraída. O facilitador coloca no quadro o número 1 associando a ele a frase “muito prazer, meu nome é...”, o número 2 associando a ele a frase “muito prazer, (nome da pessoa)” e número 3 associando a ele uma saudação. Explica então que quando o facilitador gritar 1 a pessoa procura um colega mais próximo e se apresenta, no 2, a pessoa cumprimenta o colega dizendo o nome dele (a), e no 3 apertam as mãos.

Coffee Break

Formar duplas aleatoriamente. Dizer que vamos começar a nos apresentar, porém de uma forma descontraída.  Participantes irão se conhecer como se estivessem participando de um coffee break. Facilitador deve colocar guia de principais perguntas para facilitar o quebra gelo inicial. Informar que cada um terá 2 minutos para conhecer o outro colega. Ao final o facilitador se aproxima de cada dupla no coffee break a fim de ser apresentado e o candidato A apresenta o B e vice versa.

Sugestões de perguntas:
Além das informações pessoais e profissionais básicas que você deseja saber coloque também perguntas do tipo:
(1)     Qual característica sua que só é reconhecida pelos outros depois de algum tempo de convivência?
(2)     Relate uma situação que lhe remeta a um momento de grande aprendizado?
(3)     Se você fosse para uma ilha deserta o que e quem seria indispensável levar?
(4)     Qual a personalidade que você mais de identifica e porque?
(5)     Qual característica sua você venderia por R$ 1,00?
(6)     Que característica sua as pessoas daqui vão ficar sem conhecer/ saber logo após saírem?
(7)     Relate algo que você não curte, mas faz por algum motivo?
(8)     Relate algo que você curte, mas não faz?
(9)     Qual é sua característica marcante de acordo com a opinião dos seus amigos e conhecidos?
(10)  Se você encontrasse a Lâmpada de Aladin que pedido você faria?



A Copa do Mundo

Indicadores:

Ø  Capacidade de comunicação e expressão,
Ø  Capacidade de análise e síntese,
Ø  Senso de realidade,
Ø  Trabalho em equipe.


Cargos Indicados:

Ø  Trainee, estagiário;
Ø  Área técnica – contabilidade, finanças, informática;
Ø  Engenheiros;

Número de participantes:

10 a 20 participantes;


Desenvolvimento:

Dividir o grupo em subgrupos. Dar 10 minutos para discussão.
Abrir discussão informando ao grupo que devem chegar a um consenso sobre a situação.


Comentários:

Ø  O facilitador poderá intervir durante a discussão questionando colocações (a fim de averiguar qual a linha de pensamento utilizada pelo participante) ou mesmo perguntando a um participante menos ativo qual a posição dele sobre o que um determinado colega acabou de falar. Esta estratégia é essencial principalmente em grupos com um grande número de pessoas.

Ø  Em muitas organizações o processo decisório é algo que envolve não só escutar o outro, mas, principalmente, identificar os prós e os contras de cada situação para, somente depois tomar uma posição baseada em argumentos coerentes e nas opiniões dos membros da equipe.


A COPA DO MUNDO

A Copa do Mundo é um dos eventos mais esperados pelos apaixonados por futebol no mundo todo. Apesar de ainda faltar alguns anos, a Seleção Brasileira já está se preparando para mais esse grande espetáculo do esporte.

A Telez foi convidada para ser um dos fornecedores de tecnologia para viabilizar a execução de um dos maiores eventos de interação via Internet já ocorridos no País - um chat com o Técnico da Seleção e a Equipe de Jogadores antes da entrada no campo, durante os intervalos e após o jogo.
A participação nesse evento dará uma exposição internacional para sua empresa, além de um faturamento comparável a 20% de sua receita do ano passado. Não há dúvidas de que estrategicamente e financeiramente é muito importante ser escolhido como fornecedor desse evento.

Os dilemas:
A Telez é uma empresa de transmissão de dados e voz via cabo. Sua rede vem sendo modernizada nos últimos 4 anos, mas ainda existem áreas nos grandes centros cuja qualidade da operação está limitada em função da antiguidade da rede.
No evento da Copa está previsto o volume de 6 milhões de pessoas utilizando o acesso discado para participar do chat a cada jogo. Em algumas regiões importantes, como por exemplo, o interior de São Paulo, a rede de cabos ainda não foi restaurada para assegurar qualidade de serviço no volume de acessos que está sendo esperado.
A Equipe de Planejamento de Rede realizou estudos e já indicou que, em 40% das regiões onde o volume de acesso deve ser alto, a qualidade da rede não será capaz de suportar e viabilizar o serviço de qualidade.

Alternativas:
Aceitar o convite e fornecer o serviço de acesso via internet ao chat com a equipe da seleção. Nessa alternativa existe o risco de comprometer a imagem da Telez em algumas regiões onde o serviço pode ser interrompido.
Declinar ao convite, assumindo o prejuízo à imagem e à lucratividade, se ocorrerem problemas no serviço.

Observações:
Você não tem orçamento para restaurar a rede nessas áreas – qualquer utilização de verba extra para esse projeto implicará em não atendimento do cronograma de manutenção preventiva e corretiva em outras áreas com grande concentração de usuários e com longo tempo de espera.
A Telez passa por um momento financeiro de queda de lucratividade em função da perda de faturamento, especialmente após a entrada de um novo concorrente.






Técnica:

Lontex S.A


Indicadores:

Ø  Capacidade analítica;
Ø  Planejamento e organização;
Ø  Liderança e gestão;
Ø  Trabalho em equipe;
Ø  Iniciativa e Pró-atividade;

Cargos Indicados:

Ø  Secretárias;
Ø  Analistas e assistentes administrativos;
Ø  Analistas júnior área técnica – financeiro, contabilidade, informática;

Número de participantes:

5 a 15 participantes;

Comentários:

Ø  O facilitador deve ficar atento às estratégias e comentários dos participantes ao longo do exercício e principalmente, aos papéis que surgem naturalmente. O importante neste exercício é o processo e não o resultado em si.
Ø  Caso um grupo termine antes que o outro peça para aguardarem até que todos tenham terminado. Caso você perceba que o tempo está se esgotando e um grupo não está produzindo o suficiente você poderá orientá-lo sobre posicionamentos adequados e inadequados das salas, mas nunca dê respostas. Se algum grupo não finalizar o projeto aproveite a oportunidade para promover o aprendizado.
Ø  Muitas vezes quando recebemos a responsabilidade sobre um novo projeto nem sempre teremos a mão todas as informações necessárias. Neste sentido, a iniciativa na busca destas informações  e a interação junto à equipe são essenciais para que o projeto possa ser apresentado no tempo estipulado. Definir prioridades é essencial para profissionais que trabalham sobre pressão.

Técnica:

Oficina de Produção


Indicadores:

Ø  Trabalho em equipe e Relacionamento Interpessoal;
Ø  Pró-atividade/ iniciativa;
Ø  Negociação e comunicação;
Ø  Liderança e capacidade de gestão;
Ø  Comportamento sobre pressão;

Cargos Indicados:

Ø  Trainee, estagiário;
Ø  Administrativos - Analistas e assistentes administrativos;

Número de participantes:

10 a 15 participantes;

Comentários:

Ø  A orientação para resultados é uma habilidade essencial para qualquer profissional. Diante de uma missão devemos determinar prioridades, definir planos para execução de objetivos para que assim possamos agir de maneira a atingir a meta, evitando retrabalho e falhas no processo, procurando sempre delegar atividades quando necessário exercendo a liderança participativa.















Técnica:

Cia de Alumínio


Indicadores:

Ø  Planejamento e organização;
Ø  Iniciativa e liderança;
Ø  Raciocínio lógico;
Ø  Trabalho em equipe;

Cargos Indicados:

Ø  Trainee, estagiário;
Ø  Analistas e assistentes da área técnica – contabilidade, finanças, informática;
Ø  Analistas e assistentes de RH (seleção e treinamento);
Ø  Secretárias;

Número de participantes:

05 a 15 participantes;


Comentários:

Ø  O facilitador deve ficar atento às estratégias e comentários dos participantes ao longo do exercício e principalmente, aos papéis que surgem naturalmente. O importante neste exercício é o processo e não o resultado em si.

Ø  Caso o grupo questione se eles acertaram ou erraram, o faciltador informa que todos tomaram decisões acertadas para que nenhum tipo de frustração seja estimulado.

Ø  Muitas vezes quando recebemos a responsabilidade sobre um novo projeto nem sempre teremos a mão todas as informações necessárias. Neste sentido, a iniciativa na busca destas informações e a interação junto à equipe são essenciais para que o projeto possa ser apresentado no tempo estipulado.




Técnica:

Inventando Moda


Indicadores:

Ø  Trabalho em equipe e Relacionamento Interpessoal;
Ø  Iniciativa;
Ø  Negociação e criatividade;
Ø  Capacidade de persuasão;
Ø  Capacidade de argumentação e contra-argumentação;
Cargos Indicados:

Ø  Vendas, analistas de marketing;
Ø  Operadores de telemarketing;
Ø  Trainee, estagiário;
Número de participantes:

10 a 20 participantes;

Comentários:

Ø  Somente inicie efetivamente a atividade após todas as dúvidas terem sido esclarecidas. Caso contrário o processo poderá ficar comprometido. Ao longo das atividades em grupo, circule e coloque-se disponível em caso de dúvidas.

Ø  Em caso de algum participante questioná-lo sobre algo que será trabalhado mais a frente, sensibilize-o a envolver-se naquela atividade proposta e coloque que as novas orientações serão disponibilizadas ao longo do jogo.

Ø  No momento em que todos estiverem reunidos para decidir qual é a solução mais adequada a postura de facilitador deverá ser de estimulador de opiniões, principalmente por aqueles que estão se expondo pouco. Destaque possíveis desvantagens ou limitações da solução escolhida e perceba as reações e colocações.

Ø  Proporcione um ambiente onde todos possam se expor. Em caso de candidatos que estejam se colocando em excesso, reconheça positivamente a sua posição e redirecione o foco para outro candidato questionando a sua posição em relação ao assunto.

Ø  Destacar como a cooperação, a troca de idéias e o trabalho em equipe podem promover um clima de trabalho agradável e, conseqüentemente, mais produtivo. 

Técnica:

Mercado Alvo


Indicadores:

Ø  Capacidade de comunicação e expressão;
Ø  Habilidade de argumentação e contra-argumentação;
Ø  Capacidade de manter diálogo e persuasão;
Ø  Iniciativa/pró-atividade;
Ø  Flexibilidade e negociação e Capacidade analítica;

Cargos Indicados:

Ø  Trainee, estagiário;
Ø  Vendas, analistas/assistentes de marketing;
Ø  Operadores de telemarketing;
Ø  Assistente jurídico, estagiário de Direito;

Número de participantes:

10 a 20 participantes;

Comentários:

Ø  O facilitador poderá intervir durante a discussão questionando colocações ou mesmo perguntando a um participante menos ativo qual a posição dele sobre o que um determinado colega acabou de falar. Esta estratégia pode ser eficaz principalmente em grupos com um grande número de pessoas.

Ø  Em muitas organizações o processo decisório é algo que envolve não só escutar o outro, mas, principalmente, identificar os prós e os contras de cada situação para, somente depois tomar uma posição baseada em argumentos coerentes e nas opiniões dos membros da equipe.

Ø  Ao entrarmos em uma empresa temos a tendência de fazermos as coisas do nosso jeito. Quando nos permitimos ouvir a opinião alheia e também contribuir com nossa visão podemos colher resultados surpreendentes.

Técnica:

Mega Sena Premiada


Indicadores:

Ø  Capacidade de argumentação e persuasão;
Ø  Relacionamento Interpessoal;
Ø  Negociação e criatividade;
Ø  Flexibilidade;

Cargos Indicados:

Ø  Trainee, estagiário;
Ø  Vendas;
Ø  Operadores de telemarketing;
Ø  Analistas e assistentes de comunicação, marketing, RH;

Número de participantes:

10 a 20 participantes;

Comentários:

Ø  O facilitador poderá intervir durante a discussão questionando colocações ou mesmo perguntando a um participante menos ativo qual a posição dele sobre o que um determinado colega acabou de falar. Esta estratégia pode ser eficaz principalmente em grupos com um grande número de pessoas.

Ø  Caso o facilitador perceba que o grupo não está chegando a um consenso pode comentar que às vezes devemos nos mostrar um pouco flexíveis diante de determinadas situações a fim de que possamos chegar a conclusões que sejam adequadas para o senso comum.

Ø  Toda empresa possui normas e regras que devem ser respeitadas. Muitas vezes poderemos nos ver diante de uma situação onde não concordamos com um procedimento ou não acreditamos que aquela seja a melhor coisa a ser feita. Sugestões podem ser colocadas em momento oportuno, contudo, devemos procurar nos adaptar e sermos flexíveis a essas regras e normas a fim de que possamos cumprir o nosso papel profissional.